Dia da Terra

Domingo foi dia de protestar contra as modificações do código florestal brasileiro. Este assunto vem sendo debatido exaustivamente e pesquisas indicam que 80% da população reprova as mudanças. O governo teimosamente insiste em modificar o código de forma a prejudicar ainda mais as já tão devastadas florestas brasileiras. Estamos em ano eleitoral e temos o dever cívico de sair às ruas para demonstrar qual caminho queremos que os nossos governantes trilhem. Esse pessoal fez a sua parte e participou ativamente do movimento que saiu do Passeio Público e terminou no museu Oscar Niemeyer.

Veja as imagens que palavras não traduzem.

1 Comment

  1. Simone, uma vez abrae7ada a ideia da bike, ne3o se larga mais. He1 mais ou menos um ano coloquei essa ideia na cabee7a e, mesmo ainda usdano o carro e0s vezes por dias seguidos, ne3o deixo de usar a bicicleta.Moro em Brasedlia e moro a cerca de 8km do trabalho. Vocea lembrou bem, aqui as diste2ncias se3o bizarras de grandes e dificilmente tenho oportunidade de resolver ve1rias coisas cotidianas num dia sf3 quando estou de bike. A outra desvantagem de BSB e9 que os congestionamentos em ate9 10km do centro (ainda) ne3o se3o grandes o suficiente para convencer as pessoas a deixar o carro em casa, como pode acontecer em SP.Mas aqui e9 uma cidade razoavelmente plana, as ruas team mais espae7o e sf3 chove no comee7o/final de ano. No meu caminho de casa para o trabalho, levo cerca de 20min de carro (sem tre2nsito) e 25min de bike. Compensa? Considerando economia de combustedvel, bem para o ambiente e para a safade, acredito que sim.Vocea tem agora alguns dilemas que devo ter em breve. Como usar bicicleta no dia-a-dia com esposa e filhos? Uma coisa e9 certa: bicicleta ne3o vai deixar de ser ope7e3o.Um abrae7o e boa sorte!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.